HIpotermia no Ciclismo




São comuns casos, principalmente em provas longas, de ciclistas ou triatletas que precisam buscar superação no confronto com a hipotermia.
Tivemos casos famosos como o do triatleta Juraci Moreira, que chegou a perder vaga em provas importantes por conta da baixa temperatura do corpo.

Mas o que é exatamente a Hipotermia ?

Falando em linguagem bem popular, somos animais de "sangue quente" e mantemos normalmente nossa temperatura corporal em 37º C.
A alteração mais popular é o aumento desta temperatura, que chamamos de febre. Mas há também o caminho inverso, que chamamos de hipotermia. Esta hipotermia baixando dos 28º é potencialmente fatal e por isso, os atletas devem estar atentos quanto a manutenção e controle da temperatura.

Como ela acontece ?

Obviamente a temperatura ambiente é o primeiro fator, treinar no frio sem a preparação adequada já é o primeiro passo para se sofrer com o problema. A falta de preparo é com certeza outro fator importante. Mas existem fatores menores que quando acumulados também geram grandes problemas, como por exemplo :
  • Velocidade do Vento
  • Uso de vestimentas humidas ( meias, luvas, camisas ... )
  • Longos períodos pedalando sob a chuva.
  • Vácuo constante em algumas situações.
Como evitar ?

Aclimatação, preparação física e alimentação, podem ser considerados a base, mas o conhecimento corporal é com certeza o mais importante. O atleta deve manter o controle constante e estar atento aos sintomas como :
  • Ausência dos tremores
  • mudança de cor dos lábios e às vezes nariz
  • Arrepio dos poros
Outras dicas :

Evite resfriamento rápido após um ciclo de
exercícios. Observam-se muitos casos de
hipotermia na linha de chegada de maratonas
realizadas em temperaturas moderadas ou frias.
A hipotermia pós-exercício pode ocorrer porque,
embora a produção de calor tenha diminuído, a
taxa de calor perdido permanece alta. Ao final
de uma prova de resistência a baixas
temperaturas, recomenda-se agasalhar-se bem e,
se possível, buscar conforto em ambiente
quente.

Uso de roupas adequadas.
O efeito
isolante das roupas é quantificado em
unidades ‘clo’ (clo é a quantidade de
isolamento necessário à manutenção do
bem-estar em um sujeito em repouso, a
20ºC, umidade < style="font-weight: bold;">Aquecimento adequado. O desempenho
ótimo em muitas atividades atléticas,
principalmente aquelas que dependem de
velocidade e potência, requer a elevação da
temperatura muscular antes da competição.
O aquecimento a baixas temperaturas é mais
difícil e é preciso usar roupas mais pesadas,
exercitar-se mais intensamente e/ou por
mais tempo e continuar se aquecendo até o
último minuto antes da prova.

PONTOS FUNDAMENTAIS AO EXERCITAR-SE NO FRIO
Fisiologia da Exposição ao Frio
n Durante exposição ao frio, o equilíbrio térmico do organismo é solicitado devido à elevação
das taxas de perda de calor através dos processos de radiação, condução e convecção.
n As principais respostas fisiológicas ao frio são tremor, que aumenta a produção de calor
(ou seja, termogênese), e vasoconstrição cutânea, que ajuda a conservar o calor corpóreo.
n A exposição crônica ao frio faz com que seres humanos possam desenvolver uma tolerância
maior ao frio ao aumentarem a vasoconstrição periférica, a espessura da pele e/ou a produção
metabólica de calor.
Exercícios no Frio
n A exposição a temperaturas baixas o suficiente para reduzir a temperatura central compromete
o desempenho de exercícios de resistência ao diminuir a força aeróbica máxima (V02 máx.) e ao
aumentar o V02 durante exercícios submáximos básicos.
n Baixas temperaturas ou rápida exposição ao frio antes do exercício podem produzir efeitos
ergogênicos no desempenho de exercícios de resistência.
n Entre os fatores que afetam a tolerância ao frio e as respostas fisiológicas ao exercício no frio
encontram-se: forma física, espessura da pele, sexo e velocidade do vento.
A tolerância ao frio durante imersão em água é inferior à tolerância no ar devido à alta
capacidade de transferência de calor da água.
n Ao se exercitarem no frio, os participantes devem se aquecer continuamente até o último
minuto antes da prova, escolher cuidadosamente a roupa a ser usada (ver abaixo), considerar a
direção e a velocidade do vento e evitar exposição prolongada ao frio após o exercício.
Roupas que Propiciam Conforto Durante Repouso e Exercício em Ambientes Frios: Valores
CLO* e Espessura Isolante Aproximada (centímetros) Necessária.
Temperatura Nível de Atividade
ºF(ºC) REPOUSO LEVE PESADO
1 MET** 3,5 METS 12 METS
(Sentado, parado) (Andando, 3,5 mph) (Correndo, 7,5 mph)
40ºF(5ºC) 5 CLO ou 2 CLO ou 1 CLO ou
3,8 cm 2,0 cm 0,5 cm
20ºF(-7ºC) 6 CLO ou 2,5 CLO ou 1,1 CLO ou
5,0 cm 2,5 cm 0,7 cm
0ºF(-18ºC) 8 CLO ou 3 CLO ou 1,2 CLO ou
6,3 cm 3,3 cm 0,8 cm
Tirado de B. J. Sharkey. Physiology of Fitness, 2ª edição, Champaign, IL: Human Kinetics Publishers, 1984.
* quantidade de isolamento necessária à manutenção do conforto em um sujeito em repouso, a 20oC, umidade < vento =" 6" style="font-weight: bold;">

Comentários

Tom Bike disse…
Bom Review!!! Aqui dois artigos antigo sobre hipotermia, um sério: http://capimcompoeira.blogspot.com/2006/05/frio-sensao-trmica-hipotermia.html e um caso para o the Lancet: http://capimcompoeira.blogspot.com/2005/12/101205-urbanova-so-chico-na-chuva.html Abrax!!!
JMEDEIROS disse…
muito bom este blog
"jmedeiros.blogs.sapo.pt"
João Pimenta disse…
Ontem, numa prova de Audax 400 em Cristalina (Estado de Goiás/Brasil) Abandonei no km 320 por hipotermia. Chovia muito e como não levei uma capa de chuva fiquei completamente molhado. Ao parar no Ponto de Apoio do km 320 para comer um sandwiche comecei a ter tremores incessantes e me vi obrigado a abandonar.